domingo, 13 de fevereiro de 2011

CAMPANHA DA FRATERNIDADE 1986 - TERRA DE DEUS, TERRA DE IRMÃOS

Posted by Toninho Kalunga - PT On domingo, fevereiro 13, 2011 Comentários



A Campanha da Fraternidade em 1986 convoca-nos para uma ação conjunta de preces, reflexões e mobilização sobre o gravíssimo problema da questão da terra no Brasil a ser solucionado evangelicamente, ou seja, dentro da justiça e da fraternidade
A escolha deste tema é resultado de uma ampla consulta confrontada com a caminhada da Igreja.Entra nesta escolha uma aguda atenção a Palavra de Deus e às exigências da quaresma.Entram também as orientações da própria Igreja, especialmente os Documentos do Concilio Vaticano II (1962-1965), sobretudo Lúmen Gentium e Gaudium et Spes, depois as conclusões de Medellín (1968) e Puebla (1979), os diversos Planos de Pastoral de Conjunto da CNBB, os documentos e estudos da CNBB.Mas nesta escolha do tema entra com especial relevo, os desafios sócios econômicos, políticos culturais e religiosos da realidade brasileira.
O Brasil é um dos países onde há maior concentração de terras do mundo.
Dois terços das terras de nosso pais são imóveis rurais. Desses imóveis 37% estão nas mãos do latifúndio.Isto quer dizer que mais de 400 milhões de hectares formam propriedades com mais de mil hectares cada uma. Desses latifúndios, a metade não produz nada.
Por outro lado, 45% das terras de cultivo estão concentradas nas mãos de 2% dos proprietários. Tudo isso sem contar que mais de dez milhões da famílias do campo não tem nem um pedacinho de terra. Fontes: Veja 876, 19/06/85; Folha de São Paulo, 27/05/85

Denuncia o excludente formato de concentração de terras e anuncia através da ação profetica a necessidade de uma reforma agrária pacifica e eficaz.
Conclama a Paz no Campo. Para tanto, esta campanha da fraternidade contribuiu de forma absolutamente importante para que a Constituição de 1988 enfocasse a Reforma Agrária como uma prioridade do povo brasileiro.

0 comentários :

Postar um comentário

Mensagens ofensivas não serão publicadas. As da pequena oposição não serão sequer lidas! A confirmação da mensagem serve para identificar através do ID pessoas que se utilizam do anonimato para enviar mensagens ofensivas!